agosto 4, 2021
Como realizar a automonitorização da glicemia de forma correta

Como realizar a automonitorização da glicemia de forma correta

Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), a situação do controle da glicemia no Brasil ainda é desastrosa e preocupante e o que explica este cenário é a falta de uma prática adequada de automonitorização da glicemia.

 

Medir a glicemia de maneira inadequada prejudica o acompanhamento do diabetes e impede que os médicos tomem decisões eficazes para o tratamento e retardem o descontrole, justamente porque ele não vai ter conhecimentos suficientes sobre os níveis de glicemia do paciente.

 

Muitos pacientes não possuem o  glicosímetro em casa e os que dispõem deste aparelho fazem a medição de forma errada, realizando os testes de forma aleatória e não frequente.

 

Este texto tem o objetivo de contribuir para informar sobre a forma de realizar a automonitorização correta da glicemia, confira:

Porque medir a glicemia?

Realizar a medição frequente da glicemia auxilia no tratamento do diabéttico, desta forma, o médico e o paciente conseguem desenvolver estratégias e mudanças para que o controle da doença aconteça, como buscar uma dieta adequada, práticas de exercícios físicos, prevenir complicações e evitar problemas como a hiper e a hipoglicemia.

 

Uma diabetes controlada, afugenta situações diagnósticas mais graves como glaucoma, cegueira, problemas renais, amputações, dificuldade na cicatrização de ferimentos,pé-diabético, etc.

 

É imprescindível que desde a descoberta da doença e o começo do tratamento, a pessoa com diabetes tenha acompanhamento médico adequado, para orientação e informações importantes sobre seu estado de saúde e sobre como conviver com a doença. Então é preciso consultar sempre um profissional.

Como realizar a automonitorização

 

Para realizar a automonitorização com o uso do glicosímetro, antes de tudo leia o manual de instruções para saber a forma correta de utilização.

 

Além do Glicosímetro você vai precisar das tiras medidoras, onde é colocada a gota de sangue e a lanceta (agulha). Existe um Kit adequado que é fornecido para essa prática.

 

As instruções são as seguintes:

 

  • Lavar bem as mãos com água e sabão;
  • As mão precisam estar bem secas para evitar diluição do sangue e consequente alteração no teste;
  • Inserir uma tira de teste no medidor;
  • Furar a lateral do dedo com a lanceta;
  • Apertar delicadamente o dedo para a formação de uma gota de sangue;
  • Depositar a gota de sangue na tira de teste.

 

Na tela do medidor de glicose vai aparecer o nível de glicose de seu sangue e alguns segundos.

Após a realização desse teste e sobre orientação médica, registre os resultados, anote a data, a hora, além de informações sobre sua dieta e exercícios. Leve seu registro para todas as consultas médicas, para que o profissional consiga saber se as metas para o tratamento estão funcionando.

Quando é preciso realizar a automonitorização?

O melhor recurso para a monitorização dos níveis de glicemia no sangue é o uso do glicosímetro, aparelhos que conseguem realizar a medição dessa taxa a partir de uma gota de sangue colhida do dedo da mão.

 

É importante saber que o glicosímetro não fornece diagnóstico, e sim informações úteis para o controle do diabetes, ele não substitui a opinião médica, mas a complementa, para que as decisões seja adequada a cada tipo de diabetes e para o quadro geral de cada paciente.

 

O médico, portanto, vai indicar a frequência de medição correta e os horários do dia em que é preciso medir, em geral o tipo de diabetes que a pessoa possui vai indicar o plano adequado para o tratamento.

 

Diabetes tipo 1

Esse tipo de diabetes é mais raro, geralmente é descoberto na juventude (infância ou adolescência) e se caracteriza por ser uma doença autoimune, a pessoa com esse tipo de diabete possui pouca ou nenhuma insulina.

 

Para esse grupo é indicada a medição pelo menos 3 a 4 vezes ao dia, no mínimo,em diferentes momentos do dia.

 

Diabetes tipo 2

Esse tipo de diabetes é ocasionado geralmente devido à uma resistência do corpo à insulina, que não consegue mais realizar sua função de maneira adequada, ela é a responsável por enviar a glicose para as células.

 

Este tipo afeta 90% dos diabéticos e um dos motivos mais comuns de seu desenvolvimento é a má alimentação e o sedentarismo.

 

Existe uma variedade de quadros para os paciente desse grupo, então para saber quando medir a glicemia, cada caso deve ser avaliado de maneira particular, pois pode acontecer de a diabetes está descontrolada, sob controle, mas o paciente precisa fazer uso de insulina, controlada sem uso de insulina, pode ser diabetes gestacional, etc. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *